Arquivo para ‘Eventos’ Categorias

BEAUTY FAIR 2013

Friday, November 22nd, 2013

O debute da Orly no Brasil

Tudo que se faz em uma empresa de beleza durante o ano tem uma finalidade: Chegar à Beauty Fair, maior feira de beleza da América Latina, cheia de novidades e lançamentos. E foi isso que fizemos este ano!

Stand Bonona na Beauty Fair 2013

Tivemos muitos lançamentos das nossas marcas próprias, Just 4 Princess (www.just4princess.com) e Star Cosméticos (www.starcosmeticos.com.br). E, para a americana Milani (www.milanicosmetics.com.br), trouxemos nada menos que 70 produtos novos, renovando completamente a linha. E, para abrilhantar essa chegada e provar de tudo, nós convidamos a Vídeo Blogger e ex-BBB 8 Juliana Goes para fazer um tutorial ao vivo usando estes produtos: Tutorial Milani ao Vivo na Beauty Fair 2013

Evento Milani com Juliana Goes

Daniele Honorato, do blog Unha Bonita; Ale Castro, do Blog da Kamaleoah; Bianca Andrade, do blog Boca Rosa, e Juliana Goes

A grande novidade da importadora, entretanto, aconteceu com o lançamento da marca ORLY, especializada em esmaltes e tratamentos para unhas, no Brasil. A Orly é a principal concorrente da OPI nos USA e tem no seu fundador e CEO, Jeff Pink, o criador da French Manicure, conhecida no Brasil como francesinha. A qualidade dos produtos é indiscutível e, para não deixar dúvidas, disponibilizamos, na feira, os esmaltes e tratamentos para que as manicures pudessem testar.

Lançamento Orly

Trouxemos também a ex-BBB Adriana para ser maquiada pelo nosso Coach Marcelo Montana, que fez dois looks utilizando a nossa linha Star. Os makes passo-a-passo foram acompanhados por blogueiras e jornalistas, que tiveram total liberdade de interagir com o maquiador e com a celebridade, o que gerou um ambiente bem descontraído.

Ex-BBB Adriana, Coach Marcelo Montana e Diretores Bonona Importadora

Evento para a Star com a ex-BBB Adriana

E, para quem quiser conferir um pouco mais sobre a feira, segue entrevista que dei para a RC TV:

Lauren, como sempre, esteve ao meu lado e foi conferir o evento de perto.

Lauren

MAIO É TEMPO DE FESTA!!!

Wednesday, August 7th, 2013

Maio, como sempre, é tempo de comemorar muitas coisas em minha vida.

No início do mês, foi hora de juntar os amigos e comemorar os meus 37 anos. Na verdade, esse número já me dá um certo peso nas costas, pois vou vendo que, de fato, realizei muitas coisas na vida e muitas memórias já me parecem longínquas. Por outro lado, existe um “quê” de “O que teremos pela frente?”, hora de reflexão e de fazer planos para a segunda metade da vida.

Eu e Lauren prontos para comemorar o meu aniversário

A celebração do meu niver foi, novamente, ao lado do também aniversariante Caetano Nobre. Estive acompanhado da minha mulher Lauren e rodeado pela família e amigos. Entre os BBB’s, estiveram comigo o Flavio e o Max para provar que inimizades cultivadas dentro da casa podem se transformar em amizade aqui fora.

Os aniversariantes

Comemorando com a família

Após o meu niver, foi tempo de receber a minha sogra Sharon para uma visita bastante animada, tão animada que ela resolveu passar junto comigo na linha de chegada do Ironman, em Floripa.

Eu e minha sogra Sharon

E, já que puxei o assunto Ironman, este foi o ano de partir para o meu segundo Iron. Para quem não conhece, estamos falando de uma tradicional prova de triathlon na qual, para completá-la, você precisa nadar 3.9 km, pedalar por 180 km e, por fim, correr 42.5 km. Ano passado, eu tinha terminado o percurso em 11h36 e imaginava que, este ano, por estar mais preparado e por não ser a primeira vez, conseguiria terminar abaixo das 11h, porém, cada dia é um dia e estas provas muito longas precisam ser respeitadas.

Ironman 2013

Comecei muito bem, baixando em 10 minutos o meu tempo no mar. Iniciei a bike dentro do meu plano, mas, após 80 km, senti que algo parecia estranho: Minhas pernas estavam queimando e a força desaparecendo. A sensação de esforço foi ficando insuportável e a velocidade foi caindo, ou melhor, despencando. Terminar o trecho de bike foi um esforço sobre-humano. Pensei em desistir muitas vezes. Passei na enfermaria, que fica na área de transição, e, como tudo estava ok, decidi sair para correr. Durante a maratona, voltei a me sentir melhor e completei a mesma em 4h03, o que foi um tempo 17  minutos abaixo do outro ano. Mas, no total, meu tempo final foi de 12h08. Poderia ficar decepcionado, pois não baixei o meu tempo, mas, pelo contrário, fiquei realizado por ter completado a prova e poder estar aqui contando minha experiência de completar o meu segundo Ironman.

Obrigado à Lauren e à minha família, que aguentaram seis meses de treinamentos e chatices minhas.

Bike: Um esforço sobre-humano!

Recepção calorosa na chegada

Mas, voltando às comemorações: Maio também foi tempo de comemorar 1 ano e meio com a Lauren… As coisas vão bem, obrigado!

1 ano e meio com Lauren

E, por fim, fomos assistir a estréia do musical Thriller. Foi bem bacana, pois aproveitei para reencontrar o admirável Ronnie Von e curtir a noite ao lado da Jaque Khury e do namorado, quase marido, Rafael Melo. Além disso, fiquei impressionado com a produção do musical, bem nos padrões internacionais… Estão de parabéns!!!!

Estréia de Thriller

MIAMI

Tuesday, July 30th, 2013

Nautica South Beach Triathlon 

Neste abril passado, resolvi fazer a minha primeira competição internacional, e vou dizer que valeu a pena, e muito!!!

Miami Beach

Escolhi um triathlon de distância olímpica (1.5km Swim, 40km Bike e 10km Run), uma prova onde se nada em plena Miami Beach e sai pra pedalar e correr na Ocean Drive Road, então vocês já podem imaginar o glamour.

A prova é lotada de gente, com até 2000 participantes em diversas categorias e modalidades. Seu nome é Nautica South Beach Triathlon, e recomendo a quem quiser fazer,  pois é super organizada e tem todo o kit by Nautica.

Aproveitei a minha ida a Miami para fazer o meu bike fit com uma nova tecnologia 3D. Pra quem nunca viu, o cara te coloca pedalando no rolo, liga câmeras na frente e na lateral e vai medindo todos os ângulos pra achar a posição mais aerodinâmica para pedalar. Meu fitter foi o Ryan Williams, que é do Hunter Allen Coaching Group.

Bike Fit

Ajustes feitos, foi hora de ir para a briga. Mar bravo por lá, mas temperatura bastante agradável. Ciclismo bem plano e rápido, apenas com um pouco de vento. Corrida feita na pista de cooper de Miami Beach, onde as vezes cruzamos com pessoas passeando com o cachorro, tiozinho dando um jogging e gente distraída, mas vale a pena pelo local privilegiado.

Rumo à Ocean Drive Road

Chegada

Fim de prova e obtive o 7º lugar na categoria, o que me deixa bastante feliz e com vontade de voltar ano que vem mais treinado para tentar o pódio!

Comemorando ao lado de Lauren

A VOLTA AO INTERNACIONAL DE SANTOS

Sunday, March 3rd, 2013

22º Thriatlon Internacional de Santos – 24/02/2013

 

Minha última participação na mais tradicional prova de triathlon brasileira tinha ocorrido em 2011.

O Interncional de Santos chega ao seu 22º ano de existência, marca impressionante para um esporte que ainda vem se popularizando no país.

Esse ano, tive de lidar com um ingrediente a mais, que eu não esperava: Com as chuvas na sexta-feira antes da prova, as rodovias Imigrantes e Anchieta ficaram uma calamidade, e filas enormes se formaram. No sábado, cheguei a desistir com medo de ficar preso no trânsito ou de ser surpreendido por novos deslizamentos de terra, uma vez que as chuvas e as previsões ruins continuavam. Só decidi fazer a prova às cinco da manhã de domingo, quando entrei no site da Ecovias e vi que as pistas estavam liberadas. Isso não é muito bom, pois são muitos itens a se lembrar para praticar as três modalidades do thriatlon, mas lá fui eu.

 

Na Estrada

 

Chegando a Santos, fui organizando as coisas e encontrando os amigos. – Aliás, mando um abraço especial aos irmãos Tico e Guilherme Rigonatti, que pegaram o kit da prova pra mim no sábado, quando não pude descer a Santos. – Comecei, então, a rever todos os ajustes da bike, gel de carboidratos, água,  roupa de borracha para nadar, óculos de natação, etc. Tudo tinha que estar pronto para uma transição rápida.

 

Já em Santos, antes da prova

 

Tudo preparado, o lance foi ir pro mar fazer um aquecimento rápido e alinhar para largar.

Às oito da manhã, um céu azul se formava, e, quando larguei, o calor já se mostrava forte. O mar estava bom e calmo, mas tinha um problema: Entre a primeira e segunda boia que temos de contornar, o sol ficava refletindo no mar e indo em direção ao rosto, ou seja, não dava pra ver nada pela frente, o que confundiu muitos atletas, que nadaram para direções diferentes até se darem conta do erro. Por duas vezes, eu tive que parar de nadar pra achar a direção, e esse zigue-zague acabou afetando o meu tempo final. De qualquer modo, saí da água em 25 min, o que achei bom para a situação.

Na bike, uma questão era certa: A prova seria rápida e intensa. Diferente de outras provas, essa é disputada quase toda na via Anchieta, ou seja, linha reta e asfalto bom, ideal para abaixar a cabeça e sentar a lenha no pedal. Dito e feito. Fiz o melhor ciclismo em provas até hoje, com tempo de 1h02 para 40km, dando uma média de 38.3km/h. O único defeito nesta prova é que, como é muito cheia, acaba embolando algumas vezes e ficando um pouco perigosa para quedas. Felizmente, tudo ocorreu bem.

 

Ciclismo

 

Quando você chega para correr, pensa: “Legal, já não me afoguei e não tomei tombo de bike, agora é só correr para  a chegada…. kkkk”. O problema é que ainda tem 10 km pela frente e um calor de mais de 30º na cabeça, sem contar o corpo cansado. Mas fui confiante. Entretanto, a minha confiança se reduziu ao longo do caminho, quando foi derretida pelo sol e pela falta de sombras. Consegui manter o ritmo a duras penas, mas estive longe dos meus melhores tempos de corrida. Terminei com 46min, totalizando a prova em 2h15, minha melhor colocação nesta prova e o sentimento de dever cumprido depois de tantas dúvidas e riscos.

 

Corrida

 

Agora, começo a intensificar os meus treinos pro Ironman, em maio, mas, antes disso, teremos outras provinhas menores.

Grande abraço, e até mais….

 

ÚLTIMAS DE RALF NA MÍDIA

Saturday, February 16th, 2013

Ralf fala ao Fuxico:

Ex-BBB’s Ralf, Kléber Bambam e Emanuel se encontram em praia no Rio
 
Ex-BBB Ralf Krause diz que suposto maltrato a cão fez Dhomini ser eliminado
 
Ex-BBB Ralf Krause treina para participar do IronMan Brasil
 
Ex-BBB Ralf Krause diz que veteranos do reality são amigos de Boninho

 

Ralf participa da pré-estreia do filme País do Desejo: 

Ralf e Lauren

Notícia na íntegra no site RG
 
Fotos do evento no site da UOL

 

Ralf participa da Première da temporada 2013 de Luigi Cani:

Ralf, Lauren e Helinho Calfat

Notícia na íntegra no site da TOP Magazine
 

Ralf dá entrevista à Yahoo! TV:

“Quatro anos após sua passagem pelo BBB9, Ralf Krause divide seu tempo entre esportes, negócios e vida social.

Em entrevista ao nosso blog, ele lembrou dos seus momentos de pânico quando passou pelo quarto branco, conta que o rótulo de ex-BBB ainda é um desafio, mas não se arrepende de ter participado do Big Brother. Porém, não voltaria para o confinamento por causa das suas atuais responsabilidades como empresário.

 

Ralf Krause BBB9/Divulgação Globo

 

Ralf, você se arrepende de ter participado do programa por causa do rótulo de ex-BBB?

De maneira nenhuma. Ter participado do Big Brother, em 2009, foi um presente de Deus pra mim. Eu estava num momento de negócios e de vida bastante perturbador e precisava de algo incrível. Sabe quando você diz “Para resolver meu problema, só ganhando na MegaSena!” e aí você ganha? Foi assim pra mim. Não era uma questão de grana. Eu precisava de uma emoção e reviravolta fora do meu mundo. A TV definitivamente não era meu mundo. Mas, com o programa, eu ganhei uma energia fantástica e passei a olhar o mundo de forma diferente. Um dia, falei: “Tô de saco cheio da minha vida, quero ir pro Big Brother!”. Dia seguinte fiz o vídeo e 3 meses depois estava lá dentro! Foi mágico.

Sou grato à Globo, mesmo eles não sendo gentis conosco. Depois que você sai do programa, ninguém mais olha na sua cara. É pé na bunda e tchau!

O rótulo de ex-BBB foi e  ainda é um desafio. Muita gente te bajula, mas muita gente desdenha e te joga pra baixo.

O Quarto Branco foi seu momento mais difícil no BBB9?

Psicologicamente, foi o mais duro, sem dúvida. Me tirou do eixo e tive um princípio de pânico. Foi muito difícil de controlar. Posso dizer, inclusive, que me desenvolveu uma certa claustrofobia. Algo que eu não tinha.

Mas, no jogo, acho que o quarto branco me levantou. A força que eu dei pro Léo, que apertou o botão vermelho desistindo da prova e do programa, foi vista de forma muito positiva aqui fora.

Meu momento mais difícil foi meu paredão. Eu sentia que as coisas não estavam pro meu lado.

Voltaria para o confinamento?

Quando disseram que teriam ex-BBBs na casa, eu tive vontade. Como tudo na vida, quando se faz pela segunda vez, pode não dar o mesmo prazer da primeira, mas também não se comete os mesmos erros. Acho que iria me divertir e estaria pilotando a nave sem dó… (risos). Mas, por outro lado, seria um mau momento. Os negócios estão em crescimento e dependendo da minha dedicação. Seria irresponsável largar tudo para viver outra aventura.

O que achou da volta de alguns participantes para o programa?

Eu gostei bastante. Achei que animou o jogo e fez com que o programa acelerasse (lembrando que a audiência sempre é meio fraca no começo e, como os participantes começam meio medrosos, a coisa fica meio xoxa). Acho que Bambam foi a melhor escolha deles. Não para ganhar, mas para fazer o efeito furacão. Pena que tenha desistido de forma estranha. Gostava do Dhomini, mas acho que, com a saída do Bambam, as atenções se voltaram pra ele e ele sentiu. Virou alvo na casa, inclusive dos veteranos. Com o lance dos protetores dos animais que pegaram no pé dele, a coisa ficou feia. Pra ganhar, ele teria que se reinventar.

Tem algum palpite para o vencedor?

Todos estão sendo politicamente corretos. Algo terá que acontecer pra surgir um campeão. Alguém terá que levantar a cabeça e dizer: Eu vou!!!! Quem? Eu também não sei. Talvez aconteça como ano passado, que ganhou quem incomodou menos as pessoas, o Fael. Isso é igual ao Alckmin ganhando eleições em SP. Você olha e diz: Tudo bem, vai.

Financeiramente, o BBB ajudou ou atrapalhou a sua vida como empresário?

Primeiro atrapalhou. Tive que parar algumas atividades e o que se ganha como ex-BBB, para um homem, não é suficiente. Vale a farra e toda as festas e pessoas que conhecemos depois do programa, mas financeiramente foi um tiro no pé. Hoje, posso dizer que o BBB me beneficia, pois me abre muitas portas e as pessoas costumam ser mais gentis comigo.

Você contratou ex-BBBs para a Beauty Fair no ano passado. Que ironia do destino trabalhar com ex-BBBs, não?! (risos)

Eu acho que contratar ex-BBBs é um bom negócio. Tolos são aqueles que têm uma visão ultrapassada de Marketing, que acham que os ex-participantes têm uma imagem rotulada. Já trabalharam para a nossa empresa Ana Carolina, Maíra e Josi, do BBB9, em 2009, e, ano passado, contratamos a Renatinha e a Laisa, que inclusive chegou a fazer mais de um trabalho e está na pauta pra fazer ainda outros negócios. É também uma forma de eu levantar a moral dos meus irmãozinhos… (risos)

Você é triatleta, sua rotina de treinos é bem puxada. Como faz para conciliar os esportes com o trabalho?

De fato, o treino é bastante puxado, principalmente nos meses que antecedem competições mais longas, como o IronMan. Como trabalho das 9:00 às 18:00, sou obrigado a treinar antes e/ou depois do trabalho e preciso me policiar para dormir 8 horas por noite para me recuperar. Ou seja, conciliar o treino e o trabalho não é tão complicado. Problema é conciliar os dois com a vida social, família e etc. Aí só sendo mágico… (risos)

 

Ralf Krause, em Santos, disputando o Troféu Brasil de Triathlon/Foto Facebook

 

Seu intuito é diversão ou competição?

O triathlon tem esta vantagem, você só consegue praticar a modalidade nas competições, pois é quase impossível fazer os três esportes no mesmo dia. Então, eu diria que, de cara, é um esporte para pessoas que gostam de competir. Mesmo assim, me divirto muito fazendo, então diria que é um hobby bem sério… (risos)

Eu compito na elite amador no triathlon e na geral nas corridas de rua. Ano passado, fiquei em 4º Lugar no Troféu Brasil de Triathlon, o que foi um grande feito, dado o nível da competição. Nas corridas de rua, tenho ficado entre os 30 primeiros, incluindo os profissionais, o que também é uma posição bastante razoável.”

Fonte: Site Tvyahoo.com